Petros se posiciona sobre a suspensão temporária do fim do convênio com INSS

Petros se posiciona sobre a suspensão temporária do fim do convênio com INSS

346

A Petros se posicionou em seu Portal sobre a publicação no Diário Oficial da Portaria Conjunta DIRBEN/DIRAT/INSS Nº 11 DE 11/05/2020, na qual suspende temporariamente a transferência para a rede bancária dos benefícios pagos por intermédio das entidades de previdência complementar até que suas agências retomem o atendimento presencial

Assim que foi notificada da prorrogação do convênio com o INSS, a Petros informou às patrocinadoras. A BR Distribuidora já comunicou que manterá, no dia 10 de cada mês, o adiantamento de 40% dos benefícios Petros e INSS e, no dia 25, os 60% restantes do INSS a seus ex-empregados que integram o PPSP-R e o PPSP-NR.

Já o convênio da Petros com a Petrobras, que garante o repasse dos recursos necessários para a realização dos adiantamentos (40% dos benefícios da Petros e do INSS no dia 10 e 60% do INSS no dia 25), possui a mesma vigência do convênio da Fundação com o INSS. Assim, os pagamentos serão mantidos normalmente durante a vigência do convênio, a não ser que haja manifestação contrária da patrocinadora.

Caso a Petrobras decida finalizar o convênio com a Petros e encerrar o repasse dos valores que são pagos antecipadamente aos participantes, a Fundação alerta que o benefício seria integralmente creditado no dia 25 de cada mês, sendo antecipado para o dia útil anterior caso a data caia num fim de semana ou feriado. Já o benefício do INSS seria pago pela Petros até o 5º dia útil do mês seguinte enquanto o convênio com o instituto estiver em vigor.

De acordo com a Petros, o contato com o INSS e a Petrobras será mantido e, assim que novas informações forem divulgadas, todos os participantes serão comunicados.

ARTIGOS SIMILARES