Chegada do Pix ao WhatsApp vira novo golpe

Chegada do Pix ao WhatsApp vira novo golpe

831

A agilidade do Pix atraiu a atenção de criminosos que sequestram contas de WhatsApp para pedir dinheiro aos contatos na lista. Prático, o PIX permite transferências rápidas e gratuitas a qualquer hora do dia, o que facilita muito a vida dos estelionatários que conseguem movimentar a quantia rapidamente de forma que a vítima não tenha tempo suficiente para cancelar a operação ao perceber a cilada.

A triste notícia é que, uma vez esvaziada a conta de destino, o estrago está feito. Já há relatos de bancos que se recusam a devolver o dinheiro já que a transação foi realizada com a autorização da vítima. De acordo com especialistas em direitos do consumidor, não existe obrigação legal de a instituição financeira ressarcir a vítima, no entanto, há decisões judiciais que favorecem tanto aos bancos quantos aos usuários.

Mas o que fazer se você caiu no golpe e passou dinheiro pelo Pix?
As orientações podem ser resumidas em três passos:

  1. Avise imediatamente o banco para o qual o dinheiro foi enviado;
  2. Faça um boletim de ocorrência;
  3. Caso tenha problemas com o banco, abra uma reclamação no Banco Central.

Antes de efetivar uma transferência via Pix, o sistema mostra o nome completo, o banco e um trecho do CPF do destinatário. Em alguns casos, a chave Pix é o próprio CPF. Essas informações ficam salvas no comprovante virtual da transação.

Se a vítima entrar em contato com o banco para o qual o dinheiro foi enviado, a instituição pode bloquear a movimentação da conta e evitar que outras vítimas caiam no mesmo golpe. Caso o dinheiro ainda esteja na conta, fica mais fácil sustar o valor transferido, por isso é importante ser rápido.

Como é o golpe do WhatsApp
O golpe depende de o estelionatário conseguir sequestrar (ou clonar) a conta de alguém no WhatsApp. Isso geralmente não é feito com vírus ou programa invasor, mas pela chamada engenharia social. O golpista entra em contato e simula uma pesquisa ou atendimento. Depois de conquistar a confiança da vítima, pede a confirmação de um código enviado para o celular dela. Este código permite que o golpista acesse a conta do WhatsApp em outro aplicativo. Portanto, fique atento!

Uma vez que os criminosos sequestram a conta do WhatsApp, eles mandam mensagens para os contatos da primeira vítima, pedindo algum tipo de pagamento ou transferência.