Idosos brasileiros conectados

Idosos brasileiros conectados

67

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva (antigo Data Popular), intitulada de ‘Internet +60’, os idosos brasileiros estão cada vez mais conectados. Nos últimos oito anos, o país ganhou 4,8 milhões de pessoas com mais de 60 anos que acessam a internet regularmente, um salto de 940%. Em 2008, eram apenas 364 mil pessoas. De acordo com a Ebit, empresa especializada em comércio eletrônico, o consumidor mais velho movimenta cerca de R$ 15,6 bilhões em compras online. Segundo a empresa, nenhuma outra faixa etária de comprador online teve crescimento tão alto nos últimos anos.

No Brasil, são mais de 20 milhões de pessoas com mais de 60 anos, que totalizam cerca de R$ 330 bilhões de renda somada. É uma fatia da população que usa cada vez mais a internet para se informar, se relacionar nas redes sociais e comprar. Portanto, muitas empresas começam a se preparar para atender a esse público. Ainda de acordo com a Ebit, os itens de perfumaria e saúde são os mais procurados pelos internautas mais velhos, seguidos de eletrodomésticos, casa e decoração, moda e acessórios e telefonia celular, nesta ordem.

Outro ponto importante é que o interesse dos idosos pela internet cresceu em compasso de igualdade por ambos os sexos, já que metade dos homens e das mulheres acessa a rede. A variação ocorre em relação à idade, já que mais da metade tem entre 60 e 64 anos e dois a cada dez têm mais de 70 anos.

O estudo também identificou onde estão concentradas as pessoas com mais de 60 anos que usam frequentemente a internet. A região Sudeste reúne o maior percentual de idosos conectados: 60%. Em seguida está o Sul (18%) e logo na sequência vem o nordeste (13%), o Centro-Oeste (6%) e o Norte (3%). A maioria absoluta dos internautas com mais de 60 anos pertence às classes A/B (76%), seguida pela classe C (23%) e classe D/E (1%). Com alto nível de escolaridade, essa parcela da população possui ensino superior (39%) ou médio (33%) e 28% cursou até o ensino fundamental.

Além disso, a pesquisa revela que para nove em cada dez idosos internautas (92%) o microcomputador é a principal ferramenta de acesso à rede, enquanto 44% preferem o smartphone, 17% gostam da praticidade do tablet e 4% preferem acessar a web pela TV. Em função deste cenário, as empresas devem se preparar para atender às demandas de forma eficiente para esse público que, além de estar invadindo a internet, será um segmento de mercado fiel e influenciador.